Resultados Ambientais
Estratégia de Crescimento da Empresa
Crescimento Sustentado
Compromissos assumidos em 2006
Os nossos Compromissos
 
Home
Estratégia de Crescimento da Empresa
1001219.html
Retail
Corporate Solutions


Retail

Gestão da Energia e Emissões Associadas

Para uma eficiente gestão da energia nos Centros Comerciais Dolce Vita,é extremamente vantajoso planear as fases de projecto e construção tendo em conta as necessidades do edifício e a premissa de obter o melhor desempenho energético possível. Assim, na fase de exploração de cada Centro Comercial, estará garantida a obtenção de bons desempenhos, cabendo ao Sistema de Gestão Integrado as tarefas de monitorizar os consumos de energia e garantir a melhoria contínua, através das equipas disponíveis para o efeito.

Algumas das medidas utilizadas na fase de gestão dos Dolce Vitapermitem-nos uma gestão eficiente do consumo energético:
- Escadas rolantes a funcionar em modo stand-by nos períodos de menor afluência de visitantes;
- Regulação do sistema de iluminação ao longo do dia e no período nocturno, consoante a intensidade luminosa natural;
- Regulação do sistema de climatização garantindo o conforto térmico ao longo do dia e consoante a estação do ano;
- Utilização de sistemas de iluminação eficientes, conjugados com balastros electrónicos.

O consumo total de energia nos Centros Comerciais Dolce Vita Douro, Coimbra, Porto e Ovar foi de 98.174 GJ, o que representa uma redução total de 7% face ao ano anterior. O consumo de electricidade representa sensivelmente 98% do global da energia consumida, os restantes 2% são divididos entre o consumo de gás natural e gasóleo.

O consumo de energia por convidado foi de 3,76 GJ por 1000 convidados, um decréscimo de 12% relativamente ao ano anterior, para os mesmos Centros Comerciais em gestão e no mesmo período de tempo.

Este indicador diminuiu em todos os Centros Comerciais, o que demonstra uma maior eficiência na utilização da energia:
-11,3% no Dolce Vita Douro
-9,7% no Dolce Vita Coimbra
-4,7% no Dolce Vita Porto
-23,4% no Dolce Vita Ovar

A estes consumos acresce o consumo do Dolce Vita Funchal de 6.348 GJ, que abriu no último trimestre de 2007. O consumo por 1000 convidados neste Centro Comercial foi de 0,72 GJ/1000 convidados.

As emissões associadas ao consumo de energia totalizaram 13.137 ton CO2, uma redução de 7% face ao ano anterior, resultado de um decréscimo de 6% no consumo de electricidade (energia indirecta) e de 24% no consumo de gás natural e gasóleo (energia directa).

A emissão de CO2 por convidado teve também um decréscimo de 9% com um valor de 0,50 ton CO2 por 1000 convidados. No Dolce Vita Funchal as emissões foram de 0,097 ton CO2/1000 convidados. 

 




Gestão da Água

Para gerir este recurso da forma mais eficiente, é realizado, na fase de concepção, um plano de gestão para os recursos hídrico incluídos na bacia hidrográfica do local para onde o edifício é projectado. Este plano permite a protecção tanto das águas superficiais como freáticase permite também fazer uma avaliação da possibilidade de utilizar captações de água alternativas à da rede pública, para rega ou outras necessidades.

Na fase de construção são desde logo contempladas algumas medidas como:
- Torneiras e sistemas de rega com redutores de caudal e temporizadores;
- Utilização de plantas com menores necessidades de rega, nos espaços verdes e jardins dos Centros Comerciais.

No projecto do DV Braga foram propostas uma série de outras medidas como:

- Utilização de autoclismos de dupla descarga e urinóis sem água nos sanitários;
- Aproveitamento de águas pluviais e freáticas para rega, urinóis e autoclismos;
- Sistemas de corte de águas na ausência de pessoas nas instalações sanitárias;
- Medição dos caudais em cada loja (esta medida foi também proposta no projecto do Dolce Vita Tejo).

Para além de todas as medidas e tecnologias aplicadas, consideramos fundamental a sensibilização dos nossos convidados e operadores, incentivando-os a adoptarem boas práticas na utilização da água e a terem hábitos e atitudes mais responsáveis perante as questões ambientais. Em 2008 o consumo total de águas nos Centros Comerciais Dolce Vita Douro, Coimbra, Porto e Ovar atingiu 44.923 m3, menos 16% face ao ano anterior. No que respeita ao consumo por convidado atingiu-se uma redução total de 18%, com 1,7 m3/1000 convidados.

Todos os Centros Comerciais ultrapassaram largamente as metas de redução do consumo de água estabelecidas para o ano 2008 (Metas de 2% no DV Douro, Coimbra e Porto e de 5% no DV Ovar). As reduções obtidas no consumo de água por convidado foram de:

-5,7% no Dolce Vita Douro
-14,6% no Dolce Vita Coimbra
-24,9% no Dolce Vita Porto
-16,1% no Dolce Vita Ovar

O Dolce Vita Funchal teve ainda um consumo de 0,6 m3 por 1000 convidados e um consumo total de 5.279 m3 em 2008. Estes resultados demonstram que a aplicação de pequenas medidas e a sensibilização junto de operadores e visitantes tem resultados bastante positivos.
“O sucesso dos Centros Comerciais Dolce Vita está ligado às políticas de sustentabilidade já enraizadas nos projectos actuais e nos projectos futuros, a preocupação na minimização dos impactes ambientais e sociais na construção dos edifícios, permitem implementar medidas que posteriormente melhoram o desempenho dos Centros Comerciais (consumo de energia, água, qualidade do ar, etc.), tornando assim estes projectos competitivos e inovadores, garantindo retorno aos seus investidores e proporcionando o bem-estar aos seus convidados."

Pedro Teixeira
Director Adjunto
Dolce Vita Douro


Gestão dos Resíduos

As características do negócio de Retail levam a que haja, anualmente um grande volume de produção de resíduos. Com o objectivo de minimizar esta produção temos de actuar em parceria com os nossos operadores, visto que é destes que decorre a maioria dos resíduos gerados nos Centros Comerciais.

Para que a gestão dos resíduos seja realizada de forma eficiente, existem procedimentos no sentido de minimizar, controlar e responsabilizar cada operador pelos resíduos que gera. Os operadores são sensibilizados, formados e informados sobre os procedimentos que devem seguir de forma a optimizar toda a logística da gestão e resíduos em cada Centro Comercial. Em cada Centro Comercial existem locais para deposição selectiva de uma série dediferentes tipos de resíduos, entre eles: papel/cartão, vidro, plástico, embalagens metálicas, madeira e óleos alimentares, e outros.

Para os visitantes existem caixotes do lixo para recolha selectiva de materiais orgânicos, papel/cartão e embalagens.

Em 2008 foram produzidos 2.381 ton de resíduos nos Dolce Vita Douro, Coimbra, Porto e Ovar, o que representa uma redução de 2% relativamente ao ano anterior. A estes acrescem 514 ton produzidas no Dolce Vita Funchal, ou seja em 2008 o total de resíduos produzidos foi de 2.895 ton.

A fracção de resíduos recicláveis (nos Dolce Vita Douro, Coimbra, Porto, Ovar e Funchal) foi de 32,3%, resultando numa produção de 26,8 Kg de resíduos recicláveis por 1000 convidados.

As metas referentes às percentagens de resíduos recicláveis foram ultrapassadas nos Dolce Vita Douro e Coimbra, no entanto, no Dolce Vita Ovar e Dolce Vita Porto os resultados não atingiram as metas previstas, pelo que este aspecto terá especial consideração durante o próximo ano nestes Centros Comerciais.

O peso dos resíduos perigosos foi de 0,7%, um valor sem significado no volume global produzido. Este corresponde a hidrocarbonetos, resíduos hospitalares, pilhas e lâmpadas, sendo encaminhados para operadores de resíduos licenciados para a sua gestão.





Gestão da Qualidade do ambiente interior e exterior

No âmbito da qualidade do ambiente interior, avaliamos periodicamente as condições de qualidade do ar interior nos nossos activos. As zonas mais sensíveis nesta questão são, sobretudo, as zonas de restauração e os parques de estacionamento.

Para garantir uma boa qualidade do ar em todas as zonas do Centro Comercial realizamos manutenções periódicas aos sistemas de extracção e climatização de forma a garantir uma boa renovação do ar e os parâmetros de qualidade do ar dentro dos níveis adequados. Os parques de estacionamento estão equipados com sensores de monóxido de carbono que são accionados quando existe uma concentração deste poluente inferior à estipulada na legislação, isto garante-nos a segurança e saúde os nossos convidados.


No que diz respeito à qualidade do ambiente exterior e relativamente à possibilidade de ocorrência de derrames, todos os nossos Centros Comerciais estão equipados com bacias de retenção nos armazéns dos prestadores de serviços evitando a poluição dos locais em caso de derrames de produtos químicos. Nos parques de estacionamento existe uma rede de drenagem específica para recolha de óleos e águas contaminadas e um decantador que diminui a carga poluente dos efluentes antes de serem descarregados nos colectores municipais. Este sistema recolhe ainda as águas provenientes da área de restauração.

Para além do controlo das emissões de CO2 que resultam dos consumos energéticos (descritos no capítulo Gestão da energia e das emissões de CO2), realizamos o controlo das potenciais emissões dos fluidos refrigerantes dos equipamentos de climatização, assegurando que nas nossas instalações se utilizam fluidos que tenham baixos impactes no ambiente.

No que diz respeito ao ambiente sonoro, este ponto é sobretudo tido em consideração nas fases de projecto e construção, nas quais são utilizadas as técnicas construtivas e materiais adequados para garantir boas condições acústicas dosedifícios, em consonância com a legislação relativa ao ruído, em vigor.
  “O plano de paisagismo da envolvente ao Dolce Vita Tejo foi realizado após o “Estudo de Avaliação e Extrapolação de Valores Naturais e Ecológicos existentes na envolvente da área de implementação do Dolce Vita Tejo”. Com base neste estudo foi feita uma escolha criteriosa das espécies e sua distribuição na envolvente do Doce Vita Tejo."

João Lopes
Gestor de Projecto


 

Sociedade

Os Dolce Vita são unidades de negócio com grande impacte na comunidade, funcionam como centro de dinamismo social nas comunidades onde se inserem, fornecendo serviços, promovendo actividades culturais, desportivas e educativas entre outras. Procuramos com estas unidades criar um ambiente acolhedor e diversificado para receber todos os dias milhares de convidados com preferências e estilos de vida diferentes.

É por isso que temos uma atitude proactiva, tentando compreender as necessidades, indo de encontro às expectativas das pessoas que nos visitam todos os dias. Assim, aliamo-nos às mais diversas causas, angariando fundos e divulgando acções em prol da comunidade local. Os apoios concedidos em 2008 atingiram 1,6 milhões de Euros e abrangeram as áreas da cultura/ educação (37%), desporto/lazer (52%), saúde/bem-estar (3%), entre outras (8%).


Foram concedidos por cedência de espaços para realização de acções de angariação de fundos e outras (43%), donativos directos (42%) e ainda através de investimentos na comunidade (15%). Dentro dos apoios que são concedidos, são realizadas uma série de iniciativas que pretendem sensibilizar os convidados para aspectos sociais como a inclusão social de pessoas com deficiência ou carenciadas, apoio às crianças, o emprego, o rastreio e prevenção de doenças, entre outros.

O apoio social dos Dolce Vita passa ainda pelo importante papel que desempenha como pólo dinamizador de inúmeras actividades em áreas como a cultura, educação, desporto, lazer, saúde e bem-estar.

A nossa responsabilidade perante as questões da sustentabilidade vai para além das medidas que implementamos para melhorar o nosso desempenho. Sentimos a responsabilidade de sensibilizar todos os que nos rodeiam, estimulando-os a adoptarem também atitudes mais responsáveis. Assim, no decorrer da nossa actividade promovemos o debate e a divulgação dos temas da sustentabilidade junto dos nossos parceiros, operadores e convidados, para que a mensagem seja disseminada e possamos gerar impactes numa maior escala. No ano 2008 demos continuidade ao Ciclo de Conferências relacionadas com a Sustentabilidade, promovendo o debate em 4 temas ambientais e sociais relevantes.
 


Corporate Solutions


Minimização | Impactes Ambientais nos Escritórios Chamartín Gestão da energia e emissões associadas

GESTÃO DE ENERGIA E EMISSÕES ASSOCIADAS
Os nossos escritórios da Arrábida e do Tejo estão incluídos no âmbito da certificação ISO 14001, pelo que o sistema de gestão actua também nestes espaços minimizando os seus impactes mais significativos, sobretudo ao nível da gestão da energia e da água.

No ano 2008, através de melhorias implementadas nos edifícios, conseguimos reduzir em 18% o consumo total de electricidade nos dois escritórios obtendo um consumo total de 2.029 GJ. O consumo por colaborador foi de 17,19 GJ/colaborador, reduzindo 7%, um valor que, apesar de significativo, não foi suficiente para superar a meta estabelecida para este ano de 17,7%. As emissões de CO2 correspondentes a estes consumos acompanharam as mesmas tendências, atingindo um total de 274 tCO2 emitidas nos escritórios, correspondendo a uma redução de 17,8%.

GESTÃO DE MATERIAIS

No ano de 2008, através da implementação de impressoras multifuncionais, conseguimos reduzir em 28,8% o consumo total de papel nos dois escritórios, Arrábida e Tejo, excedendo largamente a meta de 5%. O consumo por colaborador foi de 71,4 kg, atingindo o consumo total de 4,5 ton.

GESTÃO DA ÁGUA
O total de água consumido em 2008 nos nossos escritórios foi de 3.030 m3 de água, mais 16% que no ano anterior. Cada colaborador gastou 25,7 m3, o que resultou num aumento de 31%, o que levou ao incumprimento da meta prevista do consumo de água por colaborador. Estes resultados são fruto da realização de testes de infiltração no edifício Arrábida, o que conduziu a consumos de água anormais no mês de Outubro.

No ano anterior tínhamos definido como objectivo a realização de acções de sensibilização e de promoção de boas práticas para uma utilização mais racional e eficiente da água. Na realidade estas medidas surtiram efeitos positivos, que se demonstram na redução de 42% do consumo de água por colaborador nos escritórios Tejo.
  “Integrando os 3 vectores (ambiental, económico e social) o valor da sustentabilidade para o sucesso da unidade de negócios da Corporate Solutions da Chamartin traduz-se numa transparência de negócio e constitui um factor estratégico essencial para a criação de valor e crescimento a longo prazo, proporcionando a base para a melhoria contínua da área e negócios."

Filipa Martins
Gestão do Património
– Corporate Solutions




Minimização de Impactes Ambientais nos Activos sob Gestão Qualidade do ambiente interior

QUALIDADE DO AMBIENTE INFERIOR
A preocupação com a saúde e bem-estar dos nossos colaboradores leva-nos à realização anual de análises aos níveis de qualidade do ar interior nos nossos escritórios.

Os resultados obtidos durante este ano detectaram 2 pontos em inconformidade com os valores recomendados na sede de Lisboa e 5 nos escritórios da Arrábida. Estão já a ser implementadas um conjunto de acções correctivas, que permitirão a eliminação dos contaminantes encontrados permitindo uma adequada qualidade do ar em todos os postos de trabalho.

GESTÃO DA ENERGIA
No que diz respeito à gestão da energia, é realizada a monitorização dos consumos e introduzidas medidas de racionalização e de eficiência naqueles activos com maior potencial de redução. Em alguns dos edifícios foram implementadas medidas para melhorar o desempenho. O consumo total de energia (activa e reactiva) foi de 11.028 GJ, o que corresponde a uma redução de 51% face ao ano anterior.

GESTÃO DA ÁGUA
Através da monitorização realizada mensalmente pudemos aferir um consumo total de 16.871 m3 de água em todos os nossos edifícios, em 2008. Esta monitorização permite-nos identificar oportunidades de melhoria, como a implementação das melhores soluções tecnológicas que conduzam a edifícios mais eficientes e por outro lado desenvolver acções de comunicação, sensibilização e formação aos utilizadores dos edifícios, alertando para a necessidade de minimização do desperdício de água.

GESTÃO DA BIODIVERSIDADE
No âmbito da biodiversidade a Chamartín assume um papel activo de promoção das boas práticas e sensibilização das empresas nos escritórios sob sua gestão e dos respectivos utilizadores. O seu objectivo será possibilitar acções de formação que permitam influenciar e sensibilizar estas organizações para as questões da biodiversidade. No início do ano 2008 foi realizada uma conferência dedicada ao tema da biodiversidade, num dos Centros Comerciais da Chamartín. Esta iniciativa foi divulgada também ao nível das restantes unidades de negócio da empresa,dando oportunidade aos seus colaboradores e outras partes interessadas de participarem. Esta acção foi realizada no âmbito do protocolo com ICNB referente ao programa “Business and Biodiversity” através do qual a Chamartín assume um compromisso de contribuir para as metas definidas pela União Europeia, de conservação da biodiversidade.

GESTÃO DE RESÍDUOS
A nossa actuação ao nível da gestão de resíduos, tal como nos restantes temas ambientais, passa em muito pela sensibilização dos utilizadores para as questões ambientais. Neste caso é incentivada a separação selectiva dos resíduos para depois serem encaminhados para reciclagem, contribuindo para uma redução do consumo de novos recursos. Neste âmbito, existem em todos os escritórios ecopontos, e em cada posto de trabalho cestos de papel com separador para reciclagem, visto este ser o material de maior consumo. É, ainda, realizada a recolha de pilhas, toners e tinteiros e resíduos hospitalares.

QUALIDADE DO AMBIENTE INTERIOR E EXTERIOR
A qualidade do ar interior é alvo de monitorização anual para garantir a saúde e bem-estar de todos os utilizadores dos nossos edifícios.

Relativamente à qualidade do ambiente exterior, optamos nas nossas unidades de climatização pela utilização de líquidos refrigerantes com um menor potencial de destruição do Ozono, e que por isso são menos nocivos para o ambiente. Além disso monitorizamos as emissões de CO2 decorrentes do consumo de electricidade. Este ano as emissões produzidas foram de 1.497 tCO2, uma redução de 39% face ao ano anterior. Esta redução decorre das medidas implementadas para promover a eficiência energética e minimização do consumo de electricidade.

 




Gestão dos Resíduos e Qualidade do Ambiente Interior e Exterior

Os espaços Chamartín são geridos com a correcta separação de resíduos, com a colocação de ecopontos e acções de sensibilização ambiental. A realização de análises anuais à qualidade do ar interior testemunha a importância que concedemos à saúde e bem-estar de todos os que trabalham e visitam osnossos espaços.

GESTÃO DOS RESÍDUOS
Foram colocados ecopontos em todas as copas dos escritórios, para separação diferenciada de resíduos. Todos os postos de trabalho dos colaboradores possuem cestos de papéis com separador para reciclagem, e recipientes para recolha de resíduos hospitalares e pilhas. Foi ainda promovida a reciclagem de tonners e tinteiros. Conscientes do poder de influência sobre os milhares de pessoas que visitam os nossos activos, efectuámos acções de sensibilização sobre boas práticas ambientais juntos dos utilizadores dos escritórios.

AMBIENTE INTERIOR
A qualidade do ar interior constitui uma preocupação diária na Corporate Solutions. Neste âmbito para garantir a saúde e o bem-estar dos ocupantes dos nossos edifícios de escritórios são efectuadas análises anuais de qualidade do ar. Em 2007 todos os parâmetros (para os escritórios analisados)encontram-se abaixo dos requisitos legais, existindo, num edifício, um caso menos positivo face aos parâmetros definidos pelos requisitos legais, nos sistemas de climatização, tendo sido, de imediato, efectuada uma melhoria na desinfecção periódica destes sistemas.

AMBIENTE EXTERIOR
Para garantir a qualidade do ambiente exterior, os nossos escritórios utilizam, nos sistemas de climatização, equipamentos de ar condicionado com fluidos de refrigeração com impactes reduzidos no ambiente e que não provocam a destruição da camada de ozono. Em 2007, associado ao consumo de energia eléctrica (dos Escritórios Tejo e Arrábida) foram emitidas 334 toneladas de CO2 que corresponde a um aumento por colaborador de 25,28%.

  "A gestão de resíduos nos nossos escritórios passou a ser muito mais eficiente desde a utilização dos ecopontos para separação do papel, sendo já um hábito enraizado no nosso dia-a-dia.”

Lucília Carvalho
Corporate Solutions

 

 


 
contactos | a sua opinião | mapa do site | HOME © Chamartín Imobiliária | Aviso Legal | Política de Privacidade
Desenvolvido por: MiopiaDesign