Resultados Económicos
1001208.html
Retail
Corporate Solutions
Residencial


Retail



Crescimento Económico

Com 9 Centros Comerciais em exploração em Portugal e mais 2 em fase de construção, o ano 2008 ficou marcado sobretudo pela continudade e consolidação da marca Dolce Vita no nosso negócio de Retail.

Em 2008, a área bruta em gestão, em Portugal, superou 163 mil m2 e o tráfego total nos nossos Centros Comerciais foi de 45,8 milhões de vistantes. Os Centros Comerciais em construção, Dolce Vita Tejo e Braga, perfazem cerca de 197 mil m2 (ABL).


O crescimento do nosso negócio significa também o crescimento das regiões onde nos inserimos, pela dinamização do comércio e contratação de fornecedores de produtos e serviços provenientes das comunidades locais, bem como pela criação de emprego directo e indirecto. Em 2008 criámos 632 empregos directos e 1.871 empregos indirectos, e as vendas dos nossos operadores atingiram cerca de 345 Milhões de Euros (excluindo Central Park e Picoas Plaza, porque nestes Centros Comerciais os lojistas não declaram as vendas).

O sucesso da nossa actividade é também dependente da nossa capacidade de relacionamento com todas as partes interessadas e que têm impacte na nossa gestão. Por isso, implementamos medidas de melhoria nos Centros Comerciais com o objectivo de proporcionar melhores condições de trabalho aos nossos operadores e parceiros de negócio, potenciando o seu crescimento. Procuramos, por outro lado, fomentar a atractividade dos Centros Comerciais, proporcionando condições de elevado bem-estar dos nossos convidados.

Atribuímos ainda uma grande relevância à construção de relações de confiança com as comunidades e populações locais. Para além da criação de emprego local, a Chamartín tem vindo a exercer um papel relevante no apoio a causas e instituições de solidariedade local.

Para garantir que a operação do Centro Comercial é realizada segundo os nossos padrões de qualidade, são efectuadas auditorias a todos os Centros Comerciais, nas quais se aferem os níveis de qualidade na gestão. As auditorias externas têm uma frequência semestral e são complementadas por auditorias quinzenais internas. As auditorias são seguidas de um plano de acções, correctivas ou preventivas apresentado pela equipa de gestão do Centro Comercial, necessárias para eliminar as causas reais ou potenciais detectadas.

“Temos procurado incorporar, sempre que possível, os princípios de sustentabilidade na actividade diária dos nossos Centros Comerciais. Conseguimos fazê-lo, não só no que respeita à área ambiental, em que atingimos resultados positivos, com reduções dos consumos de água e energia e aumento da valorização dos resíduos, mas sobretudo ao nível social."

Duarte Cruz
Director de Gestão Centros
Comerciais Dolce Vita





Corporate Solutions

Crescimento Económico

Num mercado tão competitivo como aquele em que nos inserimos, orgulhamo-nos de ter um dos maiores portfolios em Portugal no segmento de escritórios, da área de negócio Corporate Solutions.

Em 2008 gerimos cerca de 200 mil m2 de área bruta locável, num total de 36 activos repartidos em 20 edifícios de escritórios, 7 armazéns, 9 lojas e um parque empresarial misto. A Corporate Solutions assegura a gestão de 182 contratos de arrendamento e 147 inquilinos. A taxa de ocupação global foi de 72,4%. A nossa estratégia e ambição para os próximos anos é manter o valor da actual carteira de activos e acelerar a sua rotação, vendendo aqueles com menor potencial de criação de valor e ao mesmo tempo adquirir outros que, quer pela baixa taxa de ocupação, quer por elevadas necessidades de requalificação, permitam uma fortecriação de valor para o negócio.

A nossa actuação ao nível da gestão dos activos tem como primeiroobjectivo a maximização do valor dos capitais investidos. Para tal, é necessário apostar em produtos que se diferenciem no mercado, incorporando medidas que melhorem o seu desempenho, não só ao nível económico mas também ao nível ambiental e social. A modernidade e inovação dos espaços aliada à sua localização promovem a criação de pólos empresariais de sucesso, em que os ocupantes são o motivo central das nossas preocupações.

As diversas soluções implementadas, com variadas tipologias e a elevada qualidade dos espaços, compreendendo o conforto térmico e acústico, a boa qualidade do ar e níveis adequados de luminosidade natural promovem ambientes de trabalho mais saudáveis e mais produtivos. A nossa metodologia de gestão passa pela utilização de medidas que permitam a conservação do património, a melhoria das condições de conforto e por outro lado reduzam os impactes ambientais, por exemplo utilizando soluções que minimizem os consumos de energia, água e outros recursos. Assim, são realizadas auditorias de manutenção, que permitem a correcção e melhoria de situações encontradas.

Para a maioria dos edifícios geridos pela Corporate Solutions são realizadas as checklists de avaliação Ambiental, que permitem a monitorização dos principais impactes ambientais destes edifícios. Os resultados são acompanhados pela Equipa Ambiente e Segurança, que propõe acções de melhoria neste âmbito.
“O compromisso da Unidade de Negócios Corporate Solutions com o Desenvolvimento Sustentável, integrado na estratégia global da Chamartín Imobiliária para todas as suas unidades de negócios, assumiu uma importância ainda maior em 2008, dada a crise que afectou o País e o Mundo e à qual a actividade da promoção imobiliária não ficou imune.

João Matos
Director Geral
Corporate Solutions

 

Bem-Estar dos Ocupantes

A satisfação das necessidades dos nossos clientes é colocada em primeiro lugar, por isso todos os anos nos interessamos por ouvi-los. No último estudo de satisfação de clientes realizado em Outubro de 2008, os resultados demonstraram uma maior satisfação dos clientes face ao ano anterior em todas as categorias analisadas.

Foram apontados os seguintes pontos fortes: Atendimento comercial, Satisfação das necessidades do cliente e Qualidade dos produtos. As categorias Gestão de reclamações e Manutenção foram as que obtiveram menor classificação, com uma média de 6,1 pontos (numa escala de 1 a 10). De realçar que a categoria à qual o cliente dá mais importância é a Segurança e esta é uma das que obteve maior pontuação, o que nos permite considerar que estamos a ir ao encontro das suas expectativas.

No envolvimento com as nossas partes interessadas, os utilizadores dos nossos edifícios estão no centro da nossa atenção. Por isso, deles esperamos em primeiro lugar a satisfação e depois a confiança. Só com uma relação de confiança poderemos trabalhar em conjunto e atingir níveis de sustentabilidade superiores. Significa isto que nesta área podemos ser uma alavanca na sustentabilidade de outras empresas, ao influenciarmos as suas práticas de gestão e tornando-as mais sustentáveis, quer através do nosso exemplo, quer pelas acções de sensibilização e formação que realizamos e lhes dirigimos. É este, o papel que queremos representar junto das nossas partes interessadas.


 


Residencial

Residencial: Investir na Reabilitação Urbana

Nesta área de negócio, a Chamartín tem vindo a investir na reabilitação urbana, segmento que tem vindo a crescer no mercado, fruto do reconhecimento dos benefícios económicos, sociais e ambientais que dele provêm. A revitalização económica e social de zonas das cidades despovoadas, a preservação do património em alguns casos com significado histórico, a renovação ambiental dos espaços, são exemplos de impactes positivos ou benefícios que a comunidade poderá retirar da reabilitação dos edifícios.

Nestas intervenções, o desempenho do edifício é pensado em todo o seu ciclo de vida desde o projecto até à fase de ocupação, incluindo futuras adaptações, pelo que o relacionamento de confiança com os projectistas, parceiros, fornecedores e prestadores de serviços é fundamental, para que haja uma efectiva aplicação dos princípios de sustentabilidade preconizados pela Chamartín.

Na orientação da nossa cadeia de valor pelos nossos princípios de sustentabilidade, utilizamos uma série de medidas, das quais enumeramos as seguintes:
- Inclusão de cláusulas nos contratos com projectistas que os obrigam a seguir as orientações e princípios de sustentabilidade por nós definidos na busca das soluções mais sustentáveis e que evidenciam a aplicação das 10 categorias de sustentabilidade identificadas (ver capítulo abordagem de gestão). Esta medida assegura a sustentabilidade na fase de programa e projecto;

- Análise dos impactes e medidas de minimização previstos para o projecto, conjuntamente com as entidades competentes e representantes locais;

- Selecção de empresas certificadas que assegurem o cumprimento da legislação aplicável à coordenação e gestão da obra em matéria de ambiente, segurança e saúde no trabalho, na fase de construção, com utilização preferencial de fornecedores locais;

- Controlo das empreitadas, por inclusão de requisitos nos cadernos de encargos que obriguem ao acompanhamento ambiental das empreitadas;

- Formação aos colaboradores. Além da gestão da cadeia de valor ao longo do ciclo de vida do projecto, a utilização da ferramenta Best & Worst (avaliação do que melhor e pior foi feito), permite-nos também interiorizar os erros e sucessos, garantindo uma actuação que permita obter um produto final mais sustentável.

“Na área Residencial a Chamartín tem apostado fortemente na reabilitação urbana, uma área essencial para a revitalização dos edifícios e das cidades. Acreditamos que através da reabilitação trazemos qualidade de vida aos seus habitantes. A renovação de edifícios localizados nos centros de cidade, traz benefícios que abrangem os três pilares da sustentabilidade: benefícios ambientais, pela renovação dos edifícios, que passam de construções degradadas e até devolutas a belos exemplares de arquitectura e construção, mantendo as suas características culturais e históricas e reduzindo o consumo de novos recursos; sociais, pela comodidade e bem-estar que são proporcionadas aos seus utilizadores e económicos, pela dinamização das zonas reabilitadas, trazendo vida a locais antes desabitados, estimulando a criação de negócios na economia local.

João Leal Barreto
Administrador e Director
Geral Residencial

 




Para Quem Ama Lisboa

A já conhecida marca “Para quem ama Lisboa” representa o nosso segmento de reabilitação urbana na cidade de Lisboa.

DESIGN APARTMENTS BAIRRO ALTO
Neste projecto de reabilitação, as opções de projecto foram sustentadas em princípios de reabilitação patrimonial, ambiental e urbana, definidos a partir da análise das características construtivas e das condições de conservação e segurança dos edifícios, articuladas com os pareceres do IGESPAR, Câmara Municipal e Gabinete do Bairro Alto e Bica.

CONVENTO DOS INGLESINHOS
Localizado em plena zona histórica de Lisboa, no Bairro Alto, o Convento dos Inglesinhos surge como a primeira grande obra de reabilitação urbana habitacional em Lisboa onde todos os elementos patrimoniais importantes foram devidamente preservados, sem que no entanto fosse impedida a sua modernização.

CAMPO PEQUENO 81
O Edifício Campo Pequeno apresenta-se como uma proposta inovadora e distinta da restante oferta imobiliária da capital. O edifício representa um passo significativo na aplicação dos princípios do desenvolvimento sustentável na reabilitação urbana reflectindo a nossa aposta no aproveitamento e recuperação de edifícios existentes, transformando-os em residências de elevada qualidade e, simultaneamente, promovendo o regresso dos habitantes ao centro da cidade.


PARA QUEM AMA LISBOA

No segmento de reabilitação urbana da área de Lisboa, a Chamartín criou a marca:

“Para quem ama Lisboa”, representativa de todos os projectos residenciais alvo
de reabilitação e requalificação.


PROJECTOS “
PARA QUEM AMA LISBOA” EM CURSO
- Convento dos Inglesinhos – Bairro Alto - em construção - www.conventodosinglesinhos.pt
- Campo Pequeno 81 – Largo do Campo Pequeno - Em licenciamento
- Design Apartments Bairro Alto – Em Projecto
- Studio Residence Palácio – São Bento - Concluído - www.studioresidence.pt

 


 
contactos | a sua opinião | mapa do site | HOME © Chamartín Imobiliária | Aviso Legal | Política de Privacidade
Desenvolvido por: MiopiaDesign